Doença Venosa: Pernas pesadas e dores são sinais de alerta.

Postado em Atualizado em

Doença Venosa: Pernas pesadas e dores são sinais de alerta.

Mariana Cabral

As conhecidas varizes e os derrames são a consequência mais evidente da existência de doença venosa crónica. Os “sinais de alerta” precoces são a sensação de pernas pesadas, o inchaço, a dor e, muitas vezes, as cãibras nocturnas.

Estes sintomas podem ser agravados por vários factores: a idade (especialmente a partir dos 40), a gravidez, o uso da pílula, a obesidade, o tabagismo, bem como estar de pé ou sentada demasiado tempo. Esta doença pode ser de origem hereditária, e deve ser tido em conta um diagnóstico dos antecedentes pessoais e familiares.
A doença venosa é crónica, e traduz-se na má circulação dos vasos sanguíneos no percurso entre os membros inferiores e o coração. O sangue fica estagnado nas veias, sendo que a má circulação afecta a zona capilar da pele, promovendo o aparecimento de derrames. Com a contínua dilatação das veias, surgem as varizes.
Um terço da população portuguesa sofre de doença venosa. Segundo o inquérito Euroteste 2001, as mulheres são as mais afectadas: 2 milhões em idade adulta são portadoras da doença. Em 1,5% da população chega mesmo a ser diagnosticada úlcera de perna venosa, que corresponde à fase final na evolução da doença.
Nesta patologia o rastreio é o primeiro passo para prevenir o agravamento da doença. Eduardo Serra Brandão, Cirurgião Vascular e Director do Instituto de Recuperação Vascular (IRV), defende que “o rastreio da Doença Venosa tem como objectivo detectar a doença nas fases iniciais, nas pessoas que ainda não têm sintomas ou que os têm mas ainda não estão a ser tratadas. Pretende-se também alertar a população em geral para um problema que afecta um grande número de pessoas no dia-a-dia, seja em família ou no trabalho, provocando mesmo faltas recorrentes e eventuais reformas antecipadas”.
Factores de Risco
• Idade
• Obesidade
• Gravidez
• Muito tempo em pé e/ou sentada
• Contraceptivos orais
• Tabaco
• Falta de exercício físico
• Predisposição genética
Dieta pobre em fibras
• Uso de roupas apertadas
• Ambientes quentes
Regras Higieno-Dietéticas
• Faça exercício regularmente (caminhada, ciclismo, natação)
• Use sapatos apropriados (salto de 3 a 4 cm de altura)
• Evite roupas apertadas que podem interferir com a circulação venosa normal
• Consulte o seu médico regularmente e siga as suas indicações.

Fonte

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s